Reflita sobre aquilo que valoriza

Todos temos um propósito que, ao longo das nossas vidas, poderá mudar consoante as necessidades que vamos encontrando pelo caminho e aquilo que valorizamos. Numa situação em que é essencial decidir entre duas ofertas de emprego, o ponto de partida deverá ser a definição daquilo que considera ser o melhor para sua carreira. Talvez procure uma oportunidade onde alcance uma progressão na carreira, ou talvez algo mais estável ou simplesmente um ambiente com foco na felicidade organizacional. Com esta informação em mente, será mais fácil chegar à proposta mais vantajosa com aquilo que projetou para o seu futuro.

Analise a cultura organizacional

Quando decide abraçar uma nova oportunidade profissional, existem muitos fatores que pode mudar e melhorar. No entanto, a cultura organizacional de uma empresa é um ponto que dificilmente se poderá moldar a si, portanto terá de se adaptar a ela, se assim estiver disposto. Por isso, é fundamental que faça uma análise prévia sobre a mesma de forma a conhecer mais detalhes sobre a cultura praticada e, se tiver hipótese, no departamento onde poderá vir a trabalhar. Muitas vezes esquecida, esta pesquisa é crucial para saber se se revê num determinado ambiente profissional, seja ele colaborativo, independente, flexível ou outro.

Lembre-se das suas metas profissionais

Mantenha presente o seu objetivo profissional e aquilo que ambiciona para a sua carreira. De igual forma, se saiu ou está a pensar sair do seu atual emprego, certifique-se de que faz uma análise sobre aquilo que o levou a tomar esta decisão. Seja qual for o motivo, é necessário garantir que, nesta nova potencial oportunidade, não encontrará um cenário idêntico. Por isso, se a razão que o fez deixar o seu emprego anterior foi, por exemplo, a estagnação na carreira, é imprescindível que procure saber se neste novo cargo visualiza perspetivas de progressão profissional.

O salário não é tudo

A sua remuneração no final de cada mês é muito importante, mas não é tudo, embora auferir um salário suficiente para viver uma vida confortável seja claramente uma vantagem. Porém, existem outras regalias que poderão fazer parte do seu pacote salarial. Dentro desses benefícios extra poderão existir seguros, planos de poupança, apoio escolar, parcerias com empresas, entre outros, que definitivamente irão representar uma grande vantagem face a uma oferta que apresentada apenas o salário.

Não sendo uma regalia oferecida pela empresa, poderá também analisar uma eventual oportunidade que até proponha um pacote remunerativo menos vantajoso, mas que, em termos práticos, situa-se mais perto de casa, o que irá representar uma considerável poupança com deslocações e despesas inerentes.

Procure o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal

Cada pessoa terá as suas necessidades pessoais devido à sua dinâmica familiar. Se tem filhos em idade escolar, talvez necessite de se debruçar sobre este ponto com maior atenção ao detalhe pois a rotina diária poderá exigir um esforço adicional no que concerne a toda a gestão implícita. Por outro lado, procure analisar a forma como poderá conjugar o seu novo emprego com outras atividades que tenha, sejam responsabilidades ou hobbies. Qual das ofertas será mais compatível com as mesmas?

Compare rotinas diárias

Um exercício para analisar e decidir entre duas ofertas de emprego passa por descrever, da forma mais pormenorizada possível, um dia típico como colaborador em cada uma das empresas. Liste as suas responsabilidades, as tarefas, as deslocações que tem de efetuar, as pessoas com quem tem de interagir, o meio envolvente, entre outros. Para esta ilustração, deverá considerar tanta informação como aquela que tem disponível sobre as duas propostas. Desta forma, será mais fácil concluir com qual das rotinas e responsabilidades mais se revê.

Peça uma opinião

Em momentos de indecisão, numa área tão importante para o seu futuro, poderá procurar opinião junto de outras pessoas. Não para decidir por si, mas sim obter pontos de vista diferentes que poderão ajudar a formular a sua decisão final. Poderá também procurar pessoas dentro da organização que possa partilhar mais informações sobre aquilo que procura, seja sobre o ambiente de trabalho, carreira ou outro tema.

Não tome decisões precipitadas

Embora tenha de respeitar o prazo colocado pelo processo de recrutamento para a sua decisão final, evite tomá-la de ânimo leve sem a merecida ponderação. Lembre-se que esta é uma das mais importantes decisões na sua carreira e que irá influenciar o seu futuro profissional.  Certifique-se que despende o tempo suficiente e que equaciona todos os fatores apresentados nas duas oportunidades para tomar a sua escolha.

Faça perguntas

Numa fase como esta, em que tudo pode vir a mudar profissionalmente, é natural que surjam dúvidas, pois será tudo novo para si. Se está perante um impasse e não consegue decidir entre duas ofertas de emprego, é provável que já tenho ido a pelo menos uma entrevista, tanto numa empresa como noutra. É nesses momentos que se trona crucial reservar algum tempo para colocar algumas questões pertinentes aos recrutadores. Tão importante como estar preparado para as responder às perguntas mais comuns numa entrevista de emprego, será esclarecer pontos que ainda não estejam claros para si. Ainda assim, mesmo depois da entrevista, as equipas de recrutamento encontram-se disponíveis para esclarecer algum tópico que não tenha compreendido realmente.

Complemente ainda com algumas perguntas a si mesmo. Poderá fazer um exercício de se perguntar sobre os tópicos mais pertinentes e encontrar forma de os responder da forma mais concisa possível. Quanto mais esclarecidos forem esses pontos, mais fácil será equiparar as oportunidades.

Negoceie

Quando falamos de negociação, de forma involuntária podemos associar rapidamente ao salário a auferir. No entanto, são várias as condições que podem ser negociadas para além da sua remuneração mensal. Poderá pretender trabalho remoto, flexibilidade de horário, mais dias de férias, ou outra condição – todas serão válidas desde que fundamentadas. O importante a reter é que, num processo de recrutamento, tudo o que lhe é apresentado, não tem de ser necessariamente tudo aquilo que tem de aceitar, caso venha a ser a pessoa selecionada. Assim, quando negociar o seu salário ou outro benefício, faça-o sem receio de comprometer o processo. As equipas de recrutamento estão disponíveis para ouvir e negociar as condições. Lembre-se que a capacidade de negociação também é uma competência social muito valorizada nos espaços de trabalho.

// Gostou do artigo? Partilhe-o nas redes sociais