Uma entrevista de emprego é uma oportunidade para ambas as partes colocarem diversas questões e conhecerem-se, de forma a que o recrutador consiga perceber se o candidato tem o perfil adequado para a função, e o candidato entenda se a função à qual se candidata corresponde realmente às suas expetativas e se é a oportunidade ou projeto que está realmente à procura. Se num outro artigo, apresentámos algumas perguntas que poderá colocar ao recrutador, hoje compilamos algumas questões que não deve colocar em reunião de trabalho.

É um processo que envolve alguma complexidade, e a forma como é conduzida a entrevista é essencial para traçar o perfil. Honestidade e transparência são totalmente fundamentais, não devendo ser omitido nenhum facto que seja relevante. No entanto, entre consultores da Human Profiler, é unâmime a nossa opinião sobre o que não perguntar numa entrevista de emprego.

De seguida apresentarei alguns exemplos e esclarecerei por que razão não devem ser utilizadas neste contexto.

O que não perguntar numa entrevista de emprego?

O que faz a empresa?

Colocar este tipo de questão poderá revelar que a reunião/entrevista com o recrutador não teve qualquer preparação prévia. Poderá ser um indicador de desinteresse do candidato. Não será requerido que conheça ao detalhe todas as competências da empresa, bem como a sua estrutura, porém é aconselhável preparar-se para a reunião e fazer uma breve pesquisa, de forma a entender qual a sua cultura, missão, valores, etc.

Quando posso tirar férias?

Uma questão deste género não é apreciada pelas equipas de recrutamento. O candidato ainda não iniciou as suas novas funções e já está preocupado com as férias, o que poderá ser um indício de falta de compromisso – uma das soft skills mais apreciadas pelas empresas. Contudo, existem exceções! Caso já tenha férias agendadas, nomeadamente uma viagem que seja difícil cancelar, deverá informar o recrutador com a maior brevidade. 

Devem ter sempre em consideração que os conceitos chave são a honestidade e transparência.

Qual o salário para este cargo?

É sempre expectável que em determinado momento de uma entrevista venha a ser discutida a componente salarial. Não é uma questão de caráter eliminatório, mas sim uma forma de entender qual o enquadramento salarial expectável para o candidato. No entanto, colocar este tipo de questão revela que o candidato poderá não ter noção da remuneração para a função que desempenha, irá desempenhar, ou função a que se candidata. Será conveniente existir uma noção do intervalo salarial médio auferido para a função a que se candidata, tendo em conta as suas competências e experiência.

Quanto tempo tenho de esperar até ser promovido?

Uma empresa deverá valorizar os recursos, devendo existir um plano de carreira para que os colaboradores se sintam parte integrante de organização, sabendo de que forma podem evoluir e crescer a nível profissional e pessoal. Ainda assim, desaconselha-se esta questão em momento de entrevista. O candidato deverá estar focado no seu valor, e em que medida poderão as suas competências, motivação e know how incrementar valor à empresa que pretende a sua contratação. A médio/longo prazo, a empresa irá reconhecer e valorizar o trabalho feito, o que irá permitir a sua progressão tendo em conta o plano de carreira.

Resumindo, o candidato deve preparar-se da melhor forma possível para uma entrevista de emprego, de modo a mostrar ao recrutador por que razão é um recurso válido, e qual o valor que poderá incrementar à organização ao contratá-lo. O papel do recrutador será sempre avaliar e verificar que o perfil de quem está a entrevistar se adequa ao cargo função pretendida, de forma a assegurar-se de que será a pessoa certa para desempenhar a função adequada ao seu perfil e às suas expetativas.

Tenho de trabalhar fora de horas?

Esta informação é relevante para ter uma ideia de como serão os seus horários e flexibilidade dos mesmos. No entanto, numa primeira fase, não é o momento mais indicado para falar sobre esse tópico. Com o avançar do processo de recrutamento terá mais oportunidades para compreender melhor as exigências da função.

Se conseguir o emprego, posso mudar os meus horários?

Mesmo que seja algo possível no futuro, a forma como introduz esta pergunta poderá determinar também a forma como a mesma é apreendida. O horário de trabalho, tal como o ordenado, é algo que entra no pacote de negociação para um novo desafio profissional. Como tal, deverá ser discutido de forma plausível e, sobretudo, oportunamente. Assim, sugerimos que, qualquer que seja a sua determinação quanto a este tópico, a apresente no momento mais indicado à equipa de recrutamento, assim como outras perguntas pertinentes ao processo, evitando dar sinais de possíveis alterações assim que tenha um parecer favorável à sua contratação, o que não abona em seu favor, como candidato.

Estou contratado/a?

Quem é que nunca teve vontade de fazer esta pergunta? Na verdade, vai revelar muita impaciência e precipitação do seu lado. Mantenha a calma e demonstre que respeita as decisões dos outros. Enquanto isso, aguarde que o informem ou partilhem uma resposta quando for conveniente para a empresa. Lembre-se que é um dos muitos candidatos e todos têm qualidades pessoais e profissionais. Na preparação da sua entrevista, e também no decorrer da mesma, o seu objetivo é reunir e apresentar todos os seus fatores de diferenciação enquanto candidato, que o destacam dos demais no processo. É sobre isso que deve manter o foco.