Se o momento da sua próxima oportunidade de emprego está a chegar, é importante estar preparado. Existem mais candidatos no processo de recrutamento no qual foi inserido e, por isso, tem de ganhar destaque. O trabalho começa antes da reunião e estar preparado para responder às questões mais frequentes em entrevista de emprego podem ajudá-lo a ganhar vantagem face à sua concorrência. Os consultores da Human Profiler reúnem neste artigo a lista de perguntas que lhe poderão ser colocadas e as respetivas respostas ideais em cada caso.

Quais são os seus pontos fortes? E os fracos?

Quando colocada este tipo de questão aos candidatos, os recrutadores pretendem uma opinião honesta e real sobre as suas competências e possíveis lacunas existentes.

Guarde algum tempo para uma análise profunda sobre quais são, de facto, as suas qualidades e, por outro lado, quais os pontos em que sente dificuldades. Não tem de ser um tema tabu na reunião, até porque todos os profissionais têm pontos fracos ou competências que necessitam de melhorias.

Imagine que trabalha num departamento comercial. Segundo a sua análise, tem tido bons resultados na angariação de novos contactos e, posteriormente, fechar em vendas. Porém, aquando esta análise, conclui que não tem tido resultados tão positivos na reativação de clientes. Poderá isto representar uma competência a desenvolver? Sim. Deve temer falar sobre tal coisa em entrevista? Não, nunca.

O ideal é aceitar esse facto. O problema é real. Não o omita nem ignore. Apresente a realidade, pois mais importante é a forma como está a estruturar a resolução desse ponto negativo e a revertê-lo em ponto forte, e como pode a empresa poder vir a beneficiar com isso. Lembre-se que é mais benéfico para si e para a empresa, fazer este tipo de análise e ter um pleno conhecimento dos pontos críticos que precisam ser melhorados, 3 meses antes do que 3 meses depois de ser necessário.

Fale-me sobre um objetivo que tenha alcançado que o deixe orgulhoso.

Porque é importante?

Sabemos que depois da pergunta anterior, onde se pretende que o candidato fale dos seus pontos a melhorar, e poderá não ser a situação mais confortável, é necessário trazê-lo de volta ao fluxo natural e focado na reunião e nada melhor que perguntar sobre algo em que tenha sido particularmente bem-sucedido e respetivos pormenores. Além disso, com este tipo de questão em entrevista de emprego, os recrutadores conseguem obter mais detalhes sobre o percurso profissional dos candidatos e seu crescimento. Por aqui também é possível saber com que tipo de tarefa um candidato se sente mais à vontade e predisposto a obter melhores resultados.

O que o leva a estar interessado neste cargo/empresa?

Se com esta oportunidade de emprego já só consegue pensar apenas no aumento do salário, melhor horário e melhores condições em geral, pode não ser o suficiente para conseguir a oportunidade que tem à sua frente. A recomendação é que faça uma pesquisa prévia acerca da empresa e do cargo e analise. Só assim é possível concluir em que medida poderá ser um forte contributo à empresa e acrescentar valor a toda a operação.

É importante desenvolver e reter talento nas organizações, mas lembre-se que os seus interesses devem estar alinhados com as necessidades da empresa, responsabilidades da função e com a sua própria motivação pessoal.

Por que motivo pretende sair do seu atual emprego?

Esta é uma das perguntas mais frequentes em entrevista de emprego e que provavelmente será levantada. Pode ser uma situação delicada se o seu histórico demonstrar algumas mudanças profissionais num curto espaço de tempo. Seja qual for o motivo, concentre-se e fale na oportunidade de emprego que tem em mãos e na possibilidade de melhorar as suas competências e experiência com esta possível nova colocação. Não perca tempo com aquilo que não gostou na sua empresa ou cargo atual que o motivam ao abandono.

O que nos pode oferecer que mais nenhum candidato pode?

Esta é uma das habituais perguntas em entrevista de emprego a qual, constantemente, os candidatos tendem a falar novamente das suas habilidades e competências. Não é abordagem mais correta nesta questão. Não fale nas suas competências ou habilidades. Lembre-se que todos os outros candidatos contactados pelos recrutadores para fazerem parte do processo de seleção onde está inserido, têm, muito provavelmente, competências similares às suas. Isto não o fará único, se outro qualquer candidato também o possa oferecer. Em vez disso, foque-se em competências pessoais e de que forma estas podem estar alinhadas com os objetivos da organização. No seu meio pessoal é persistente? É criativo? Muito bem. Como é que essas características, o podem ajudar a resolver problemas inerentes à função a que se candidata?

Como lida com o stress e a pressão?

Não o faz sentir bem? Claro. A nós também não. Não haverá ninguém a quem o stress e a pressão façam bem. Numa entrevista de emprego em que seja colocada esta questão, o ponto a reter aqui é: não é como o stress o faz sentir, mas sim como reage a uma situação de stress. Lembre-se das últimas situações em que esteve numa situação menos confortável e tente perceber o que fez para reagir a essa fase. Tentar perceber que métodos utilizou para reagir (positivamente) em cenários menos favoráveis. Replicá-los em situações mais propícias ao desconforto irão ajudá-lo a gerir tarefas mais complexas.

Fale-me sobre uma dificuldade que tenha passado a nível profissional?

O que fez para a ultrapassar?

Em entrevista de emprego é muito fácil um candidato dar ênfase àquilo em que realmente é bom e dar uma total ideia de boa disposição e felicidade. Até pode ser uma pessoa com traços assim, mas dificuldade e/ou conflitos são inerentes a qualquer profissional nos dias de hoje no seu dia de trabalho. Com esta pergunta, o recrutador irá procurar saber não que conflitos teve no passado, mas sim que métodos utilizou para se gerir e comprometer a solucionar de forma profissional essa situação desagradável com um colega/cliente.

Tem alguma questão para nos colocar?

Apesar de parecer que se estão a inverter os papéis e que, por isso, é pouco provável acontecer, este é um exemplo de pergunta em entrevista de emprego bastante clássica. Contudo, não a menospreze, pois, mesmo que no momento lhe ocorram algumas perguntas, o recrutador sabe que qualquer questão que seja colocada neste momento da entrevista, é sobre o que poderá ter uma grande relevância para o entrevistado. Por isso, evite perguntas sobre remuneração, condições ou demasiadas perguntas que possam ser desadequadas à etapa do processo de seleção em que se encontra. Em vez disso, opte por perguntar o que o recrutador/empresa esperam com a ocupação deste novo cargo nos próximos meses. Ou, por exemplo, é um cargo novo na organização? Como é um típico dia da pessoa que irá ocupar esta nova função?

Na Human Profiler o processo de seleção e recrutamento segue metodologias que garantem o melhor diagnóstico de perfis dos candidatos face às oportunidades de emprego existentes. Se procura a sua próxima oportunidade confira as últimas ofertas de emprego ou submeta a sua candidatura espontânea.

Gostou deste artigo? Partilhe-o nas redes sociais ou envie a um amigo.